quarta-feira, abril 29, 2009

IGREJA, O CORPO DE CRISTO.

Foto: Marcos Vichi


IGREJA, O CORPO DE CRISTO

I Coríntios 12.1 – 31


Qual é a primeira imagem que vem à sua mente quando você ouve a palavra Igreja? Para muitos Igreja significa um templo aonde se vai nos dias de culto e que no resto da semana permanece fechado.


A palavra Igreja vem do grego Ekklesia que significa “chamados para fora”. Portanto, biblicamente falando a Igreja não é o templo, mas as pessoas que crêem em Jesus como seu Senhor e Salvador, que estão reunidas com o intuito de adorar a Deus e que ao sair do templo continuarão servindo ao Senhor na comunidade onde vivem atraindo novos adoradores. Estes novos adoradores se integrarão à Igreja e se tornarão parte do corpo de Cristo.


Quando se define a Igreja como um corpo, o que está sendo enfatizado nesta definição? Que benefícios a colocação deste conceito em prática pode trazer à sua vida ou à sua Comunidade de Fé? Que ferramentas Deus utiliza para ajudar a sua Igreja a ser o seu corpo visível na terra? São estes os pontos que desejamos analisar neste estudo.


1. O conceito de igreja como um corpo, enfatiza a idéia de unidade - “Assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros sendo muitos, formam um só corpo, assim é Cristo também”. I Coríntios 12. 12


Para funcionar bem, o corpo precisa estar inteiro. Quando acontece algum acidente e uma pessoa tem algum membro amputado, ela é levada com toda a rapidez a algum hospital onde os médicos utilizarão toda a tecnologia disponível para reimplantar este membro. Se o reimplante demorar muito para acontecer, não poderá mais ser realizado e corpo ficará com uma deficiência permanente.


“O ministério e o testemunho do corpo em prol do evangelho são afetados quando excluímos aqueles que não se encaixam no sistema que nós inconscientemente desenvolvemos. Todos são importantes no corpo de Cristo”1.


A idéia do corpo tem um significado muito forte no contexto da Igreja porque cada pessoa vem de um lugar diferente, com experiências de vida diferentes, mas o Espírito Santo une a todos em um só corpo pela redenção efetuada por Cristo na cruz. “Desta forma não há judeu, nem grego, não há servo nem livre, não há macho nem fêmea, pois todos vós sois um em Cristo Jesus” (Gálatas 3. 28). Dentro da Igreja a diversidade convive com a unidade porque é o Espírito Santo quem realiza a tarefa da união. “Há diversidade de dons, mas o espírito é o mesmo, há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo” (I Coríntios 12. 4 – 5).


Um fator fundamental para a unidade da Igreja é o amor que faz com que as pessoas se preocupem umas com as outras. O que você faz quando uma parte do seu corpo está enferma? Você a despreza por ser problemática? Não! Você procura o tratamento adequado para que ela se recupere, porque aquela enfermidade incomoda e enquanto ela não for curada toda a sua vida ficará limitada.


A Igreja precisa funcionar de acordo com este mesmo princípio. Se meu irmão não está bem eu não vou descansar até encontrar uma solução para o problema dele. Evidentemente que você não poderá resolver todas as coisas para todas as pessoas, mas em muitos casos apenas um gesto demonstrando que você se importa com a necessidade de alguém já faz uma diferença enorme e dá forças para aquela pessoa seguir em frente.


Quando a igreja vive em unidade ela atende o desejo de Cristo expresso em João 17. 21 “E peço que todos sejam um. E assim como tu, meu pai, estás unido comigo, e eu estou unido contigo, que todos os que crerem também estejam unidos a nós para que o mundo creia que tu me enviaste” (NTLH). Quando os não crentes olharem para a Igreja e a virem unida, manifestando o amor de uma forma prática, eles conhecerão a extensão e a profundidade do amor de Deus, então terão o desejo de fazer parte desta comunhão. A unidade na Igreja proporciona saúde e isto leva à segunda ênfase deste estudo:


2. O conceito de igreja como um corpo enfatiza a idéia de dinamismo - “E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos (...) Ora, o corpo não é um só membro, mas muitos. Se o pé disser: porque não sou mão não sou do corpo, não será por isso do corpo?” (I Coríntios 12. 6; 14 – 15).


Um corpo saudável não permanece parado, ele quer produzir, envolver-se em diversas atividades, pois tem energia suficiente para investir naquilo que lhe desperta interesse. Existe muito para ser feito no âmbito de atuação da Igreja e cabe aos crentes envolverem-se nesse serviço, mas na hora de realizar a tarefa é que as coisas se complicam. O problema retratado por Paulo na Igreja de Corinto acontecia porque alguns crentes não estavam satisfeitos com as suas atividades porque achavam-nas inferiores às dos outros. Estas pessoas não se valorizavam e o trabalho da igreja sofria com isto porque ficava paralisado, enquanto os irmãos brigavam entre si.


Não existe serviço menos importante no Reino, assim como no corpo não existem órgãos sem valor. “Antes, os membros do corpo que parecem ser mais fracos, são necessários”(I Coríntios 12. 22). Aquele irmão que cuida da limpeza é tão importante quanto o cantor com voz maravilhosa. O valor da tarefa a ser executada não está na posição social que ela confere, mas em dar a oportunidade de servir a Deus. “E tudo o que fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai” (Colossenses 3. 17). “Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (I Coríntios 10. 31).


Ao executar a sua tarefa com cuidado você se aperfeiçoará, o seu ministério se expandirá e o corpo de Cristo será abençoado ao tornar-se mais ágil podendo desenvolver mais atividades realizando-as com qualidade. “Tudo o que te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças” (Eclesiastes 9. 10).


O dinamismo na igreja é alcançado quando todo o corpo mantém um bom relacionamento com a cabeça. “E sujeitou todas as coisas debaixo dos seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja que é o seu corpo, a plenitude daquele que enche tudo em todos”. “Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é o cabeça, Cristo” (Efésios 1. 22 – 23; 4. 15). “Não importa qual ministério você tem, todos os ministérios dependem de seus componentes estarem num relacionamento correto com Deus. Se você não é capaz de andar em obediência diária ao Senhor, você não deve esperar ser usado em áreas de responsabilidade no corpo de Cristo”2.


A cooperação garante o dinamismo do corpo. Todos os membros utilizam todas as suas habilidades com a intenção de atingir um objetivo comum, mas que ferramentas Deus utiliza para alcançar este objetivo?


3. Os Dons Espirituais São As Ferramentas De Deus Para O Desenvolvimento Da Igreja. “A manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil. A uns pôs Deus na igreja primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro lugar mestres, depois operadores de milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedade de línguas” (I Coríntios 12. 7, 28).


Cada ministério existe porque foi estabelecido por Cristo. Ele conhece as necessidades de sua igreja e tem chamado pessoas capacitando-as para servirem em funções especificas com a intenção de que o seu corpo cresça de uma forma equilibrada. Deus “coloca cada pessoa em uma igreja com a finalidade de cumprir os seus propósitos redentores através desta igreja”.3


Todos os crentes são chamados para o serviço “(...) Antes participa comigo das aflições do evangelho segundo o poder de Deus, que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e a graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos eternos” (II Timóteo 1. 8b – 9).


Não é necessário ser pastor ou fazer um curso de teologia para servir no corpo de Cristo, basta estar disponível. Por esta razão Deus distribui os seus dons para que cada crente se encaixe adequadamente na sua área de atuação e tenha a oportunidade de unir as suas habilidades naturais à capacitação divina, multiplicando o poder abençoador de seu trabalho.


“O que o corpo de Cristo precisa entender é que ele já foi chamado para atuar ministrando misericórdia, auxilio, hospitalidade, exortação ou qualquer um dos dons de comunhão ou serviço. Pode existir diferença de vocações no corpo, mas todas elas são importantes e necessárias. A diferença reside apenas na função, e não em sua importância”4.


O crente é chamado por Deus para exercer os seus dons com amor e dedicação. Longe de ser uma obrigação, é um privilégio poder participar da obra de Deus, por isso devemos levar o nosso trabalho a sério e não executá-lo sem o devido cuidado. “Temos diferentes dons segundo a graça que nos é dada. Se for profecia, seja ela segundo a medida da fé. Se for ministério seja em ministrar, se é ensinar, haja dedicação no ensino” Romanos 12.6-7. Paulo recomenda aos cristãos em Efésios 4. 1 “(...) Rogo-vos que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados”.

Ao valorizar a sua vocação e buscar desenvolver o dom que Deus lhe deu você entenderá que sozinho é impossível sobreviver. “Deus nos fez interdependentes. Nós precisamos uns dos outros. O que falta a um, outros no corpo podem suprir, e certamente o farão. E o que falta a esses “supridores”, um outro membro pode suprir”5.


Os dons espirituais foram dados por Deus como ferramentas para serem utilizadas. Se elas ficarem abandonadas dentro de uma caixa não terão nenhuma utilidade. Este é o momento para você deixar de lado todo o medo e com toda a oração e dedicação buscar aperfeiçoar-se no manejo destes instrumentos assim você será “(...) aprovado como obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” II Timóteo 2. 15. Coloque-se a disposição de Deus e você verá o que ele pode fazer em sua vida.

Conclusão


Para enfrentar os desafios que tem diante de si a igreja precisa viver em unidade como um corpo. Precisa ser dinâmica oferecendo respostas adequadas às perguntas que a sociedade insiste em fazer e precisa ser hábil em manejar as ferramentas que o Espírito Santo disponibiliza para tornar o seu ministério cada vez mais eficaz.


Os não-crentes anseiam por ver a igreja cumprindo o seu papel de manifestar o amor de Cristo ao mundo. Devemos ser não apenas ouvintes atentos, mas cumpridores da palavra de Deus (Tiago 1. 22 – 25), demonstrando maturidade e firmeza de convicção que são frutos de um caráter transformado.


Cristo promete estar conosco todos os dias até o fim dos tempos, esta é a grande benção que a igreja, o corpo de Cristo deve desejar.


Notas:


1. Igreja Celeiro de Deus – Darrel Robinson – Pág. 21.

2. The Local Church Today – Bill Schleider – Pág. 262 – Tradução do Autor para esta nota.

3. Conhecendo Deus e Fazendo a Sua Vontade – Henry T. Blackaby e Claude V. King – Pág. 115.

4. The Making Of a Leadership – Frank Damazio – Pág. 40 – Tradução do Autor para esta nota.

5. Conhecendo Deus e Fazendo a Sua Vontade – Henry T. Blackby e Claude V. King – Pág. 115.

Um comentário:

IVAN disse...

Olá Pastor,
Acredito que ouve um propósito guiado pelo Espírito Santo em conhecer seu blog. Alimentei-me com essa palavra "IGREJA, O CORPO DE CRISTO", pois encotrei uma direção para tentar gerar motivação aos grupos pequenos da minha região. Uma vez que estamos encontrando resistência para multiplicar os membros desses grupos. Casei sua mensagem com a visão do IDE, fazei discípulos, pois o que propósito de Jesus é sermos coluna para as nações e que sua palavra não deixe de ser pregada fora das igrejas.
Meu amado, fique com Deus e que Ele lhe use cada vez mais, através das sua palavras.
Shallom.

Ivan C Cunha Neto
Brasilia-DF
Comunidade das Nações.