quarta-feira, março 07, 2007

O REINO DE DEUS - II - UM REINO DE GRAÇA

UM REINO DE GRAÇA


"Jesus Respondeu: Quando vocês rezarem, digam: Pai, Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Dá-nos a cada dia o pão de amanhã, e perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos aqueles que nos devem; e não nos deixes cair em tentação"
Lucas 11.2-4


Todo o relacionamento precisa de diálogo para acontecer, pois sem comunicação entre as partes torna-se impossível o desenvolvimento da intimidade. O convívio entre o homem e os seus deuses sempre foi marcado pelo medo. Sacrifícios diversos eram oferecidos para aplacar a ira divina e sempre havia a desconfiança de que uma tragédia provocada por fenômenos da natureza era a vingança por alguma oferenda esquecida.


O evangelho anunciado por Jesus trouxe uma novidade estonteante: agora é possível chamar Deus de Pai. Os discípulos, acostumados com os rituais de sua religião pedem a Jesus que lhes ensine a orar. O Pai Nosso é chamado de oração modelo não porque deva ser decorado e repetido, mas porque apresenta os princípios que nortearão a vida de quem deseja fazer parte do reino de Deus. Neste artigo vamos analisar alguns destes princípios para obter uma melhor compreensão da mensagem que Jesus desejou comunicar.


Pai, Santificado seja o teu nome

A figura paterna representa o cuidado daquele que protege a família contra os inimigos, a orientação que indica o melhor caminho a seguir e a correção para evitar que as atitudes ruins se repitam causando uma tristeza maior. Quem chama pelo pai sabe que é filho e sente-se à vontade para abrir o coração e falar das alegrias, das tristezas ou simplesmente calar, e desfrutar de sua presença amorosa.

Na cultura hebraica os pais escolhiam para os seus filhos nomes que representassem o seu caráter. Quando alguém dizia o seu nome falava de si e da missão que deveria desempenhar. Jesus é o Deus conosco. O Deus que renunciou à sua glória para tornar-se conhecido por toda a humanidade. O seu nome também significa: "Javé (o Senhor) é ou dá a salvação "1


Venha o teu Reino

Deus respeita o desejo de seus filhos. Embora pudesse impor a sua vontade, ele prefere ser convidado a agir. Aí está a força da súplica "Venha o teu reino". Ela vem do coração e é fruto do desejo daquele que pede que chegue logo o momento em que Deus regerá o mundo de acordo com o seu propósito original.


Dá-nos a cada dia o pão

A palavra pão carrega um significado fortíssimo. Ele é o alimento que garante a vida, produz força para o trabalho e proporciona prazer quando é distribuído nas festas que celebram conquistas ou simplesmente comemoram a oportunidade de reunir os amigos. A ausência de pão traz fome, tristeza e morte. O ato de pedir a Deus o pão de cada dia representa a confiança absoluta de que ele cumprirá aquilo que prometeu e suprirá com fartura tanto as necessidades físicas quanto as espirituais.


Perdoa os nossos pecados, pois também perdoamos (...)

Perdoar significa doar completamente, de uma forma que não restará nada mais a acrescentar. Esta atitude se chama graça e é produzida por um coração que ama apaixonadamente as suas criaturas, o coração do Pai.

Se pudéssemos falar num passaporte para o Reino de Deus ele seria o perdão. O ser humano é imperfeito e nunca seria capaz de purificar-se a ponto de apresentar-se diante de Deus livre de pecado.

É a graça Divina que perdoa incondicionalmente sem cobrar pagamento nem exigir recibo. Sua única condição é ser transmitida por aquele que foi perdoado, ao seu semelhante também necessitado de acolhimento. Quando não compartilhada, a graça desfigura-se e se transforma em egoísmo. Perdoar o outro é a única resposta possível ao perdão que recebemos do Pai.


Não nos deixes cair em tentação

Precisamos de proteção nesta sociedade tão violenta e corrompida. As tentações apresentam-se como ofertas irrecusáveis que proporcionam prazeres intensos, mas são armadilhas das quais devemos nos afastar. Deus oferece proteção, apoio, força e a garantia de que nenhuma tentação será maior do que a nossa capacidade para suportá-la (I Coríntios 10.13). Enquanto aguardamos a manifestação do Reino de Deus, precisamos optar pela fidelidade e rejeitar o mal.

O Reino é de graça, pois é um presente e por ser presente não pode ser comprado, somente recebido pela fé de que Deus existe e abençoará aqueles que o buscarem (Hebreus 11.6).


NOTA


1) BOFF, Leonardo – O Senhor é o meu Pastor - p.90.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

NOUWEN, Henri J.M. A volta do filho pródigo: a história de um retorno para casa - Tradução Sonis S.R. Orberg - São Paulo - Ed. Paulinas - 1997 - Coleção sopro do espírito.

BOFF, Leonardo - O Senhor é o Meu Pastor - Consolo divino para o desamparo humano - Rio de Janeiro - Sextante - 2004.

Um comentário:

Pedro disse...

Fala Romão,
texto ótimo, concordo com cada vírgula...
é direto, claro, e diz grandes verdades sobre o Reino, verdades que não são muito vividas...
Abração.