sexta-feira, julho 27, 2012


VOCÊ TEM SEDE DE QUE?
 

No último dia da festa, que é o mais solene, Jesus ficou de pé e gritou: “Se alguém tem sede, venha a mim, e aquele que acredita em mim, beba. É como diz a Escritura: ‘Do seu seio jorrarão rios de água viva’.” Jesus disse isso, referindo-se ao Espírito que deveriam receber os que acreditassem nele. De fato, ainda não havia Espírito, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado. João 7.37-39 (Jesus é a fonte da vida)


Mais uma vez Jesus utiliza as necessidades básicas do ser humano como ilustração para os objetivos de seu ministério. A água é fundamental para a preservação da vida e da boa saúde.  Devido ao desconforto que provoca, a sede costuma exigir satisfação imediata.


Em seu emblemático encontro com a mulher samaritana, relatado no capítulo 4 do evangelho de João, Jesus fala de uma sede que não é física, mas que não pode ser ignorada, com o risco de provocar uma grande insatisfação existencial: “Quem bebe desta água vai ter sede de novo. Mas aquele que beber a água que eu vou dar esse nunca mais terá sede. E a água que eu lhe darei, vai se tornar dentro dele uma fonte de água que jorra para a vida eterna.” João 4.13-14.
 

Ao ouvir falar das propriedades maravilhosas desta fonte que Jesus estava anunciando, é possível notar certa ironia na resposta da mulher: “Senhor, dá-me dessa água, para que eu não tenha mais sede, nem precise vir aqui para tirar.” João 4.15.


Mas que sede é essa em que uma pessoa perfeitamente hidratada fisicamente pode sofrer tendo o seu espírito ressecado pela falta de esperança? A complexa alma humana é insatisfeita por natureza e diariamente e demanda respostas diárias aos seus questionamentos.


Abraham Maslow propôs a hierarquização das necessidades humanas da seguinte forma: Necessidades fisiológicas, segurança, pertencimento, reconhecimento das capacidades pessoais e de auto realização.


Jesus falou aos seus contemporâneos sobre o efeito que o evangelho produziria na vida de quem se dispusesse a crer. Afinal de contas, nada pode ser mais prazeroso para um habitante do deserto, que imaginar uma fonte jorrando água fresca num dia de sol escaldante.


O ser humano tem sede de beleza, de arte de alegria, por mais que ele ganhe dinheiro, fama e poder, se ele não tem condições de usufruir destes prazeres sua vida se torna frustrante.


A música “Comida” de Marisa monte, que ficou famosa pela banda Titãs, fala destas necessidades que parecem banais, mas trazem sentido à vida:


Bebida é água.
comida é pasto.
você tem sede de que?
você tem fome de que?
a gente não quer só comida
a gente quer comida, diversão e arte.
gente não quer só comida,
a gente quer saída para qualquer parte.
a gente não quer só comida,
a gente quer bebida, diversão, balé.
a gente não quer só comida,
a gente quer a vida como a vida quer.


bebida é água.
comida é pasto.
você tem sede de que?
você tem fome de que?
a gente não quer só comer,
a gente quer comer e quer fazer amor.
a gente não quer só comer,
a gente quer prazer pra aliviar a dor.
a gente não quer só dinheiro,
a gente quer dinheiro e felicidade.
a gente não quer só dinheiro,
a gente quer inteiro e não pela metade.
bebida é água.
comida é pasto.
você tem sede de que?
você tem fome de que?


Você tem sede de que? A samaritana não alcançou a metáfora de Jesus referente à fonte de água. Ela se reportou às limitações do ambiente hostil onde eles se encontravam: “Como é que tu, sendo judeu, pedes de beber a mim, que sou samaritana?” João 4.9; “Não tens um balde, e o poço é fundo. De onde vais tirar a água viva?” João 4.11.  


Pacientemente Jesus lhe fez ver o poder do evangelho transformar os desertos escaldantes da vida em aprazíveis oásis onde a fonte de água viva renova as forças e amplia as perspectivas da vida.

Um comentário:

Gabriel Felipe disse...

Olá, amado irmão, a paz! Gostaria de divulgar meu blog, seria um prazer ter sua presença lá. Abraço.

www.palavraserio.blgspot.com